Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Polícia prende golpista que aplicava 'boa noite, Cinderela' em homens; veja flagrantes
Amaro Gomes de Lima, de 55 anos, seduzia as vítimas em uma rede de relacionamento. Ele foi preso esta semana em São Paulo. Polícia prende golpista que aplicava 'boa noite, Cinderela' em homens; veja flagrantes Um coquetel poderoso, capaz de apagar uma pessoa por dias. Mas antes de perder a consciência, ela entrega a senha de banco e o golpe está consumado. Esta semana, a polícia de São Paulo prendeu um homem especializado em aplicar o "boa noite, Cinderela". Foram mais de dez anos dopando e roubando vítimas em vários estados. Segundo a polícia, pelo menos três vítimas por semana caíam no papo do golpista, conhecido como Gil. Mesmo sendo roubadas, muitas não procuraram a polícia. Mas uma vítima, mesmo com medo, procurou. Ela e o golpista se conheceram em uma rede de relacionamento. Foram dois meses de investigação. Nesse período, a vítima indicou os lugares por onde eles passaram e mostrou as conversas mantidas no aplicativo. Com isso, os investigadores chegaram a uma organização criminosa. Pelo menos seis pessoas participavam do esquema. A polícia descobriu o verdadeiro nome do golpista: Amaro Gomes de Lima, de 55 anos, que há pelo menos 13 vive desse tipo de crime. Esta semana, ele, um taxista e mais uma pessoa foram presas. Na casa de Amaro, foram encontrados celulares, remédios usados para o golpe e cartões de banco. Em depoimento à polícia, a mulher dele contou que Amaro não tem profissão e toda despesa da casa - de R$ 10 mil - era bancada com o dinheiro do golpe. Em 2007, Amaro e um comparsa foram presos em São Paulo por crimes cometidos no Ceará. Lá, eles eram acusados de dopar turistas e depois roubá-los. O irmão de Amaro também está preso - no Rio de Janeiro - pelo mesmo motivo. Amaro ainda não tem advogado e a mulher dele não atendeu ao telefone. O Fantástico conversou com a vítima que teve coragem de procurar a polícia. Ela não quis gravar entrevista, mas mandou a seguinte mensagem: "É uma sensação de alívio, de conforto, saber que seu agressor vai pagar pelo crime cometido. Denunciem, procurem a polícia, confiem, precisamos ajudar a acabar com todos os tipos de violência". Ouça o Podcast do Fantástico!
Mon, 25 May 2020 01:09:50 -0000
Sobe para 9 número de casos confirmados do novo coronavírus entre indígenas em RO

Informação foi confirmada pelo Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi) de Rondônia; três estão internados no Cemetron, em Porto Velho. 'Podem ser muito mais', diz presidente do Cimi. Casos confirmados do novo coronavírus entre indígenas chegam a 9. Reprodução/Rede Amazônica Subiu para nove o número de casos confirmados do novo coronavírus entre indígenas em Rondônia. A informação foi divulgada neste fim de semana por Elivar Karitiana, vice-presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi) de Rondônia. Na semana passada, foram confirmados os três primeiros diagnósticos entre indígenas no estado. Os casos estão divididos em seis na aldeia central do povo e três na Caracol. Segundo Elivar, três estão internados no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), em Porto Velho. "E também temos quatro pessoas da equipe multidisciplinar da saúde da Casai de Porto Velho. Isso vai comprometer os atendimentos dentro da aldeia e fora. A maioria estão tendo sintomas de Covid-19. Estou muito preocupado com isso", disse. Segundo o arcebispo de Porto Velho, Dom Roque Paloschi, também presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), a tendência é ter mais confirmações de Covid-19 entre indígenas. "Sim, podem ser muito mais. Eles são obrigados a vir para a cidade e há pessoas nas terras indígenas. Eles não têm a resistência que nós temos", disse. Na semana passada, foram confirmados os três primeiros diagnósticos da doença entre indígenas. Eles têm 37, 40 e 50 anos e são do povo Karitiana. Os indígenas chegaram a voltar à aldeia Caracol, que fica a cerca de 90 quilômetros de Porto Velho sentido Guajará-Mirim, mas uma semana depois sentiram os primeiros sintomas da Covid-19 e precisaram retornar à capital. Avanço da Covid-19 em Rondônia Rondônia registrou neste domingo (24) mais seis mortes devido ao novo coronavírus. O total de casos confirmados chegou a 3.201, sendo 92 a mais que o balanço do último de sábado (23). Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e o Ministério da Saúde. Os seis óbitos registrados neste domingo são: 4 em Porto Velho, sendo dois homens (54 e 65 anos) e duas mulheres (62 e 67 anos), um homem de 69 anos em Ji-Paraná e um homem de 58 anos de São Miguel do Guaporé. Initial plugin text
Mon, 25 May 2020 00:55:32 -0000
Relatório inédito mostra que 99% do desmatamento feito no Brasil em 2019 foi ilegal
Ele atingiu todos os biomas do país, mas o maior impacto foi no Cerrado e na Amazônia. Do total de alertas, 11% foram registrados em unidades de conservação e quase 6% em terras indígenas. Em 2019, os olhos do mundo inteiro se voltaram para as queimadas no Brasil, principalmente na Amazônia. Um relatório inédito mostra que 99% desse desmatamento foi ilegal. O Mapbiomas é uma iniciativa de dezenas de entidades - entre universidades, ONGs e empresas de tecnologia - que, pela primeira vez, conseguiu analisar todos os alertas de desmatamento gerados satélites de várias fontes. Chegou a 56 mil pontos de desmatamento por todo o país, onde comprova o antes e o depois do crime ambiental. O desmatamento atingiu todos os biomas do país, mas o maior impacto foi no Cerrado e na Amazônia. Do total de alertas, 11% foram registrados em unidades de conservação e quase 6% em terras indígenas. "99% de todo o desmatamento que aconteceu no Brasil não é regular: não tinha autorização ou estava em áreas que jamais poderiam ter sido desmatadas. Em outras palavras, a gente poderia dizer que são ilegais", diz pesquisador. Veja os dados completos de desmatamento: http://alerta.mapbiomas.org/ Ouça o Podcast do Fantástico!
Mon, 25 May 2020 00:55:00 -0000
Namoro termina em tragédia em SP; Fantástico obteve áudios e mensagens com exclusividade
O delegado Paulo Bilinksyj e a jovem Priscila de Bairros estavam morando juntos há pouco tempo, após se conhecerem pela internet no fim do ano passado. Ela foi encontrada morta no apartamento dele, que foi baleado e está internado. Namoro termina em tragédia em SP; Fantástico obteve áudios e mensagens com exclusividade Podia ser o roteiro de um filme: paixão, sonhos, ação e uma tragédia. O casal Paulo Bilinksyj, delegado e instrutor de tiro de 33 anos, e a jovem gaúcha Priscila de Bairros, de 27, se conheceram pela internet no fim do ano passado e, desde o final de abril, estavam morando juntos em São Bernardo do Campo. Priscila foi encontrada pela polícia, na manhã da última quarta-feira (20), morta com um tiro. Socorrida, morreu no hospital logo depois. Ao menos seis tiros foram disparados no apartamento do casal. Paulo chegou ao hospital, após ser socorrido, com ferimentos na mão, fígado, tórax e bacia. E gravou em vídeo sua versão para o que aconteceu entre os dois. A paixão avassaladora parecia ir muito bem. Priscila trocava mensagens com as amigas e já fazia planos para o casamento, marcado a toque de caixa: para o próximo dia 6 de junho. O Fantástico mostra essas mensagens.
Mon, 25 May 2020 00:50:42 -0000
Ceará tem mais de 2,4 mil ocorrências de descumprimento ao decreto de isolamento social

Entre os dias 7 e 24 de maio, a Secretaria da Segurança Pública registrou 1.599 chamados por aglomeração, além de 681 por denúncias de comércios abertos. Decreto de isolamento em vigor no Ceará desde março proíbe abertura de serviços não essenciais Helene Santos/SVM Mais de 2,4 mil ocorrências de descumprimento ao decreto de isolamento social foram registradas entre os dias 7 e 24 de maio no Ceará. A capital cearense está em lockdown desde o dia 8 de maio como medida de prevenção à disseminação do novo coronavírus. Polícia desfaz aglomeração de pessoas na Praia de Iracema, em Fortaleza De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, a maioria das 2.435 ocorrências foi por aglomeração de pessoas, que teve um total de 1.599 chamados atendidos. Em seguida, aparecem as ocorrências referentes a comércios abertos, com 681 registros e também 155 casos de descumprimento de uso de máscaras de proteção individual. Durante o mesmo período, 149.779 veículos foram abordados nas barreiras físicas montadas nas entradas e saídas de Fortaleza e nas blitze móveis que atuam em 104 quadrantes da capital cearense. Ceará tem mais de 35 mil casos de Covid-19 O Ceará registrou 2.324 mortes por Covid-19 e 35.595 casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus, de acordo com a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa), atualizada às 17h20 deste domingo (24). Fortaleza, epicentro da pandemia no estado já tem 19.795 pessoas com a doença e 1.579 mortes. Gestantes em cárceres obtêm prisão domiciliar no Ceará durante pandemia Coordenação quilombola notifica primeiro óbito por Covid-19 no Ceará Na quinta-feira (21), o Ceará registrou 261 mortes em um intervalo de 24 horas, atingindo um novo recorde diário em óbitos confirmados por Covid-19. Com isso, o estado se tornou o primeiro do país a contabilizar o maior número de mortos pela doença em 24 horas. A contagem, entretanto, inclui registros de óbitos em dias anteriores e que foram confirmados somente na quinta. O município de Caucaia, na Grande Fortaleza, soma 1.196 casos confirmados de Covid-19 e registra 59 óbitos em decorrência da doença. A cidade é a mais afetada pelo novo coronavírus no Ceará, depois da capital cearense. As cidades de Sobral e Maracanaú também já ultrapassaram mil casos de infecção pelo novo coronavírus, com 1.152 e 1.030 ocorrências respectivamente. A quantidade de casos investigados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) é de 46.590 e em todo o estado houve a recuperação de 21.488 pessoas.  Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente. Veja outras informações da plataforma: 86.778 testes realizados; A taxa de letalidade da doença no Ceará é de 6,5%. Reabertura da economia O governador do Ceará Camilo Santana reafirmou em transmissão ao vivo na tarde deste sábado (23) que planeja reabrir as atividades econômicas a partir de 1º de junho, um dia após o fim do decreto de isolamento social rígido em Fortaleza e nos demais municípios. As fases e setores que serão priorizados no projeto estão sendo estudados. Conforme o gestor, a retomada econômica é feita em conjunto com a análise do setor de saúde do governo e vai depender do controle da pandemia de Covid-19 no Ceará. Prorrogação do 'lockdown' até fim de maio O governador do Ceará Camilo Santana prorrogou o decreto de isolamento social no Ceará até dia 31 de maio, com manutenção do lockdown na capital. O anúncio foi feito em conjunto com o Prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio na noite desta quarta-feira (20), por meio de uma transmissão ao vivo nas redes sociais. Esta é a quinta vez que o governo estende o prazo do decreto desde o início da pandemia no estado, em março. Camilo reafirmou que vai apresentar plano com fases de retorno da economia do Ceará e, a partir de junho, retomar as atividades de forma gradual. No dia 5 de maio, Camilo havia prorrogado o decreto pela quarta vez, com medidas mais rígidas de isolamento para a capital Fortaleza, que entrou em lockdown, com barreiras e blitze no trânsito (veja na reportagem abaixo) As barreiras de fiscalização na capital Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença Foto: Infografia/G1
Mon, 25 May 2020 00:49:38 -0000
Jair Bolsonaro posta artigo sobre a Lei de Abuso de Autoridade em rede social
Dois dias após Celso de Mello levantar o sigilo da gravação de reunião da ministerial, o presidente publicou trecho de lei, que prevê prisão para quem divulgar, de forma indevida, gravações. Juristas afirmam que legislação brasileira respalda a decisão pela divulgação. Jair Bolsonaro posta artigo sobre a Lei de Abuso de Autoridade em rede social Dois dias depois de o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello levantar o sigilo da gravação da reunião da ministerial do dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro publicou numa rede social um trecho de uma lei que prevê prisão para quem divulgar de forma indevida gravações. Juristas ouvidos pelo Fantástico e associação de juízes foram unânimes em afirmar que legislação brasileira apoia a decisão pela divulgação. A publicação menciona a lei de abuso de autoridade. O presidente Jair Bolsonaro reproduziu o artigo que diz que: "divulgar gravação ou trecho de gravação sem relação com a prova que se pretenda produzir, expondo a intimidade ou a vida privada ou ferindo a honra ou a imagem do investigado ou acusado. Pena - detenção de um a quatro anos". Mas Bolsonaro não fez referência a decisão do ministro Celso de Mello que permitiu a divulgação do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril. A gravação foi uma das provas indicadas por Sergio Moro na investigação da suposta tentativa do presidente Jair Bolsonaro de interferir na Polícia Federal. O ministro, que é o relator do inquérito no Supremo, manteve o sigilo apenas em trechos da reunião em que há referências a dois países com relações diplomáticas com o Brasil. Fora isso, justificou a decisão de tornar pública a gravação. O ministro Celso de Mello escreveu que manter o sigilo da reunião poderia comprometer o direito à ampla defesa e que a divulgação fortalece a transparência de atos públicos. "Estender-se o manto do sigilo aos eventos que só a liberação total do vídeo seria capaz de revelar implicaria transgredir o direito de defesa de referido investigado, que deve ser amplo, além de sonegar aos eminentes senhores ministros do Supremo Tribunal Federal, aos ilustres senhores deputados federais e aos protagonistas deste procedimento penal o conhecimento pleno de dados relevantes, constantes da gravação em referência, vulnerando-se, frontalmente, desse modo, o dogma constitucional da transparência, instituído para conferir visibilidade plena aos atos e práticas estatais." O ministro disse ainda que não verificou discussão de temas que tivessem relação com a segurança nacional, nem houve ofensa ao direito de intimidade dos participantes da reunião. “Não vislumbro, na gravação em causa, matéria que se possa validamente qualificar como sendo de segurança nacional nem constato ofensa ao direito à intimidade dos agentes públicos que participaram da reunião ministerial em questão, mesmo porque inexistente, quanto a tais agentes estatais, qualquer expectativa de intimidade.” Para o professor de direito constitucional Guilherme Peña, a decisão do ministro Celso de Mello não pode ser considerada abuso de autoridade: “Na verdade, no que se referiu ao inquérito que tramita perante o STF, não parece haver invasão, muito menos cogitar-se da possibilidade de abuso de autoridade. Até porque é importante lembrar que democracia pressupõe diálogo, diálogos institucionais, diálogos de instituições democráticas. Na medida em que o STF, chamado para se manifestar, decide com o processo legal devido, satisfez garantias constitucionais, deu publicidade do ato processual e repito, à Constituição, retirando aquilo que, evidentemente, ligado à segurança não parece haver invasão.” O jurista Walter Maierovitch também considera que não houve nenhuma ilegalidade na divulgação do vídeo. Ele explica que Celso de Mello argumentou exaustivamente os motivos para derrubar o sigilo. “No caso concreto, o ministro Celso de Mello colocou exaustivamente os motivos constitucionais e ainda ressaltou que não havia ali questão de segurança nacional. Portanto, a decisão sob o ponto de vista jurídico, não é abusiva, não existe nenhum abuso, ilegalidade ou ilegitimidade constitucional. É uma garantia do magistrado. E o texto que ele mandou excluir, manter sob sigilo, ele explicou que era para evitar um eventual ou possível atrito a nível de relações internacionais. Mas nada de segurança nacional.” A Associação dos Juízes Federais do Brasil, a Ajufe divulgou uma nota: “Quando o presidente da república divulga, em suas redes sociais, um trecho da lei de abuso de autoridade para, ao que tudo indica, ameaçar um ministro do Supremo Tribunal Federal, demonstra, de forma clara, a tentativa de criminalizar a atividade jurisdicional.” Disse ainda que: “os demais poderes da república devem, como se espera, respeitar a isenção e a independência do Judiciário. Para qualquer questionamento às decisões judiciais, cabem os recursos previstos em lei. Não se pode admitir qualquer tentativa, ainda mais perante a população, que busque enfraquecer ou criminalizar a atividade jurisdicional”. A Associação dos Magistrados Brasileiros também emitiu nota. Informou que “neste momento de crise, é fundamental respeitar e cumprir as leis, os princípios democráticos, e a separação harmônica entre os poderes, compreendendo que, no estado de direito, nenhum agente público está acima da legislação". O professor de direito Marcelo Bonizzi explica que há exceções, casos que devem ser mantidos em sigilo, mas a própria Constituição Federal prevê que os processos serão públicos: “A Constituição, no artigo 93 inciso nono, diz que todo processo é público, todos têm que ter acesso a tudo o que acontece dentro do processo por uma questão de transparência, por uma questão inclusive de proteção das pessoas que estão sendo objeto de algum tipo de acusação, seja civil ou criminal. Então, esse é o pressuposto, a publicidade dos processos em todos os seus atos e esse compromisso, o Poder Judiciário brasileiro tem se desincumbido de uma forma bastante intensa.” Ouça o Podcast do Fantástico:
Mon, 25 May 2020 00:48:22 -0000
Ministério Público do Trabalho reverte R$ 1 milhão para ações de enfrentamento a covid-19 em MS
Os valores foram garantidos por decisões da Justiça do Trabalho ou por acordos extrajudiciais (Termos de Ajustamento de Conduta). Com o objetivo de colaborar para a prevenção e o combate à Covid-19, o Ministério Público do Trabalho vem destinando recursos decorrentes de sua atuação institucional para hospitais, associações de saúde, universidades, entes da federação, entre outros. Em Mato Grosso do Sul, a liberação de valores para o custeio de ações capazes de minimizar os impactos da pandemia superou R$ 1 milhão. Os valores foram garantidos por decisões da Justiça do Trabalho ou por acordos extrajudiciais (Termos de Ajustamento de Conduta). Foram destinados, por exemplo, recursos para garantir equipamentos de proteção individual a profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à doença, para a compra de respiradores mecânicos, de ventiladores pulmonares, de impressoras 3D, de kits de testagem para saber se a pessoa contraiu o vírus, além de investimentos em pesquisas. O dinheiro das reversões é fruto de indenizações por danos morais coletivos ou multas trabalhistas, que têm por finalidade a reparação da sociedade pelos prejuízos causados por empregadores com violações de direitos sociais que afetam inclusive o sistema de saúde. Beneficiados O MPT criou um cadastro nacional para diagnóstico das necessidades das redes pública e privada de saúde no país. O cadastro está sendo ampliado diariamente, com base nas respostas de formulário disponibilizado pela instituição e que permite obter informações sobre as condições de saúde e segurança dos profissionais que prestam serviços nas unidades públicas (municipais, estaduais e federais) e privadas de saúde. O objetivo é verificar a existência ou não de medidas de proteção junto aos trabalhadores, diante da pandemia derivada pelo novo coronavírus (Covid-19). Segundo integrantes do Grupo de Trabalho da Covid-19 do MPT, o cadastro permite conhecer, de forma mais precisa e macro, a situação de saúde nos diferentes locais do Brasil. Quanto maior a adesão, melhor será o planejamento da atuação do MPT e os resultados na proteção de profissionais de saúde e da própria população. O preenchimento do formulário não exige identificação do respondente. As informações serão utilizadas na atuação do MPT durante a pandemia, além de orientar a destinação de eventuais recursos oriundos de ações e acordos trabalhistas. Os resultados parciais do diagnóstico serão compartilhados com outras instituições públicas para coordenar ações. Para acessar o formulário clique aqui!
Mon, 25 May 2020 00:47:48 -0000
Enem: abismo entre estudantes brasileiros evidencia necessidade de adiamento das provas
Enquanto o governo não anuncia uma nova data para o exame, boa parte desses estudantes tem que enfrentar outro problema: Como se preparar para uma prova tão importante, sem as mínimas condições de estudo em casa? Enem: abismo entre estudantes brasileiros evidencia necessidade de adiamento das provas Desde que as escolas e cursinhos fecharam por conta da pandemia, milhões de alunos que vão fazer o Enem 2020 ficaram sem aulas. Enquanto o governo não anuncia uma nova data para o exame, boa parte desses estudantes têm que enfrentar outro problema: Como se preparar para uma prova tão importante, sem as mínimas condições de estudo em casa? A reportagem do Fantástico constatou o que já se previa. O abismo entre os mundos dos estudantes brasileiros. Como falar de ensino à distância em um país em que um quarto dos alunos sequer tem acesso à internet? No Morro do Papagaio, em Belo Horizonte, essa é a realidade da estudante Débora. Ela sonha em ser advogada e diz que o Enem é sua única chance. "Caso eu entre eu seria a primeira pessoa da minha família, daqui de casa a entrar pra faculdade. Mas não é sempre que temos dinheiro para colocar a internet para eu poder estudar", desabafa. Dezesseis estados e o Distrito Federal passaram a transmitir aulas pela televisão, mas o método ainda encontra problemas. Alunos não conseguem acesso a materiais de apoio nem tirar dúvidas com os professores. A primeira decisão do governo federal foi não cancelar e não adiar o Enem. No começo deste mês, o ministro da Educação participou de uma reunião com senadores, e ali deixou claro que não adiaria o exame nacional. Essa decisão do ministro, anunciada numa reunião fechada, foi registrada pela Agência Senado. E no mesmo dia, pelas redes sociais, o próprio ministro confirmou a informação - a data estava mantida. Diante disso, os parlamentares começaram a traçar várias estratégias pra atender ao pedido dos estudantes e atrasar o cronograma do Enem. A estratégia mais rápida foi a do Senado, que colocou em votação nesta semana um projeto de lei que adia automaticamente todas as provas que dão acesso aos cursos de graduação por causa da pandemia - incluindo o Enem. Todos os senadores, de todos os partidos concordaram com o projeto. Todos exceto um, o senador Flávio Bolsonaro, do republicanos. No dia seguinte, o ministério da Educação anunciou oficialmente o adiamento do Enem, mas sem uma data definida: De 30 a 60 dias, e disse que em junho os estudantes inscritos no exame vão participar de uma enquete pra decidir o futuro da prova. Ouça o Podcast do Fantástico:
Mon, 25 May 2020 00:37:38 -0000
Santo Ângelo registra terceira morte por coronavírus; paciente é homem de 65 anos

Homem deu entrada há uma semana, e faleceu neste domingo (24), conforme prefeitura. A terceira morte por coronavírus em Santo Ângelo, no Noroeste do estado, foi confirmada neste domingo (24) pela prefeitura da cidade. O paciente é um homem, de 65 anos, que estava internado no Hospital Santo Ângelo desde o último domingo (17). Ele tinha comorbidades, diz a prefeitura, que não informou quais. No total, o município confirma 31 casos da doença. Já no boletim da Secretaria Estadual de Saúde informa 26 confirmados. Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença Foto: Infografia/G1 Initial plugin text
Mon, 25 May 2020 00:33:37 -0000
Secretário sugere intervenção federal para evitar colapso na Saúde de RR
Documento foi encaminhado ao governador Antonio Denarium (PSL), que deve decidir se pede ajuda ao governo federal. O secretário de Saúde, coronel Olivan Junior, sugeriu ao governador Antonio Denarium (PSL) que peça intervenção federal na Saúde do estado a fim de evitar um colapso em meio a pandemia de coronavírus. Denarium deve analisar as justificativas e decidir se pede por intervenção federal. O documento foi assinado pelo coronel em 17 de maio. O secretário aponta ainda um "choque de gestão" em quatro passos para tentar controlar a Secretaria de Saúde (Sesau). Começando pela implantação do Sistema Eletrônico de Informação na pasta. Em seguida a implantação de um fórum permanente de combate à corrupção envolvendo diversas entidades que devem analisar contratos da Saúde. A terceira etapa é a resolução de conflitos pessoais entre servidores da Saúde. E, por último, a aquisição de equipamentos para o combate à pandemia e outras situações. "Em seguida assumimos o compromisso com a abertura do Hospital de Campanha do Exército Brasileiro. Assinamos o termo de cooperação para tornar público o nosso interesse em buscar uma solução para a crise do coronavírus, embora de forma tardia ao nosso ver", diz trecho do ofício. O hospital de campanha completou dois meses desde que foi construído, mas ainda não atende porque faltam materiais e profissionais que deveriam ser fornecidos pelo governo estadual. Procurada, a Sesau não informou a atual situação dos leitos de UTI do estado.
Mon, 25 May 2020 00:24:38 -0000

This page was created in: 0.02 seconds

Copyright 2020 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info